sábado, 6 de Outubro de 2012

DEDICAÇÂO DE CRIANÇAS




HOJEGOSTARIA DE PARTILHAR CONVOSCO UM DOS SINAIS QUE ANTECEDE A VOLTA DE JESUS, MASQUE NÃO SE ENCONTRA, NEM EM MATEUS 24, NEM NOS LIVROS DE DANIEL E APOCALIPSE.
TRATA-SE DEUMA PROFECIA QUE DESCREVE A SOCIEDADE ANTES DA VINDA DE JESUS. GOSTARIA ENTÃODE LER CONVOSCO O TEXTO DE:
MALAQUIAS 4:5-6.
“5 Eis que eu vos enviarei o profeta Elias,antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR;
 6 eleconverterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais,para que eu não venha e fira a terra com maldição.”

Podemosolhar para a história da humanidade e provavelmente não encontramos sociedadeonde esta profecia se encaixa melhor que a nossa. Poderei mesmo afirmar quenunca em nenhuma outra época, o coração dos pais e dos filhos estiveram tãoseparados.

Gostava dereflectir durante alguns parágrafos, o caminho que a nossa sociedade pósmoderna tem seguido e as consequências devastadoras das suas atitudes, no seiofamiliar.

Hoje ouvimoshistórias de filhos que abandonam os seus pais, histórias de pais que foramabandonados nos hospitais, ou deixados sem apoio em casa, ou simplesmentecolocados em lares sem nunca mais ninguém se importar com eles. Estas imagenssão cada vez mais comuns nas sociedades ditas “desenvolvidas”. Já agora gostavasó de relembrar que a palavra LAR,em outros tempos significava a casa ou a família, hoje quando se utiliza estapalavra surge logo na nossa mente as casas de repouso que cuidam dos nossosidosos. Até esta concepção mudou com o tempo.

Os nossospais tornaram-se um peso para nós, não há tempo para cuidar deles, assim sãoabandonados.
Mas o quedizer também dos pais que abandonam os seus filhos! Cada vez mais hoje, asnossas crianças vivem o abandono dos seus pais, elas acabam por ter uma vidadiária tão ou mais cumprida que os próprios pais, sendo deixadas em infantáriosou escolas mais de 8 horas diárias. Algo que começa logo após o 4º mês de vida.

Criançasque são fruto de uma sociedade sem tempo, pais que dão a desculpa que tal sacrifícioé para dar o melhor aos filhos. Nunca como hoje se ouviu falar tanto nosdireitos das crianças, mas também nunca como hoje as crianças foram tãousurpadas num dos direitos mais importantes, o tempo que os seus lhes deviamdar.

Hoje ouvimosfalar em tempo de qualidade, a sociedade divulga pelos mídia a ideia que o maisimportante é os pais terem um tempo de qualidade com os seus filhos a cada dia.Nem que seja meia hora, mas que seja de qualidade. Prezados amigos, imaginemvocês chegarem para o vosso patrão,  e dizer-lheque a partir de hoje vocês vão trabalhar apenas meia hora, mas meia hora dequalidade. Qual será a resposta dele? Pois é, essa história da meia hora dequalidade é algo que serve para suavizar a consciência descomprometida dos paisde hoje.

Hoje ospais por causa da sua carreira profissional abandonam os filhos em infantáriosque mais parecem aviários. Não se admirem mais tarde pela lei natural dascoisas que os seus filhos pensando no melhor dos pais, os coloquem em lares deidosos.

Queridos amigos,Deus deu aos pais, e sobretudo à mãe o papel de cuidar, educar e passar valoresaos seus filhos, hoje os pais esperam da escola esta tarefa. A verdade é que ospais podem delegar autoridade mas não responsabilidade, essa responsabilidade aindapertence aos pais.

Hoje fala-seda mulher de sucesso, uma super-mulher que ao mesmo tempo é empreendedora notrabalho, cuida da casa, do marido dos filhos e ainda de si própria. Não nosenganemos pois alguma coisa vai ficar para trás, e muitas vezes é o tempo quefoi roubado aos seus filhos. Sabem ainda mais, hoje os shooping’s estão cheiosde pais com falta de tempo.

Se perguntarmosaos pais se preferem passar o dia com os seus filhos pequenos ou ir trabalhar,podemos perceber que os pais estão muito mais sossegados e distraídos notrabalho, exige muito mais deles cuidar dos seus filhos. Existem pais que era preferívelnunca terem tido filhos pois não se sacrificam para eles.

Uma autoracristã do século 19 chamada Ellen G. White escreveu num livro sobre família oseguinte: “O lar é uma instituição de Deus, Ele designou que o círculo da família,Pai. Mãe e filhos, existisse neste mundo como uma firma.” Lar e família Pag.211.  
Esta ideiade uma família ser uma firma demonstra a importância de ser cuidada. Ninguém mantémuma empresa em funcionamento, sem dedicar tempo, sem cuidar dela, sem seresponsabilizar pelo seu êxito, não se pode simplesmente a dar a outros paraser cuidada.

Esta mesmaautora numa outra parte deste livro escreve: “O rei em seu trono não tem função maiselevada que a mãe. A mãe é a rainha do lar. Ela tem em seu poder o modelar ocarácter dos filhos, para que estejam capacitados para a vida mais alta,imortal. Um anjo não desejaria missão mais elevada; pois em fazendo sua obraela está realizando serviço para Deus. compreenda ela tão somente o elevadocarácter de sua tarefa, e isto lhe inspirará coragem. Compreenda ela adignidade de sua obra e tome toda a armadura de Deus, para que possa resistir atentação de conformar-se aos padrões do mundo. Sua obra é para o tempo e aeternidade ” Conselhos à igreja Pag.146
 O papel da mãe não pode ser comparado, não setrata de ser machista, mas a verdade é que cabe à mãe o papel fundamental deorientar a sua família. Ela não pode e não deve se sentir minimizada em relaçãoaos padrões da sociedade, pois a tarefa que deve desempenhar tem frutos para aeternidade.

Quando ospais agarram pela primeira vez no seu bebé, jamais pensam que aquele indefesoser, algum dia  se tornará num criminoso ou num marginal, mas a realidade é que elesexistem, e se existem é porque houve uma falha na sua educação. Embora cada serhumano tenha a liberdade de tomar decisões, e escolher o caminho que querseguir, a verdade é que uma grande influencia é lhe passada pelos seus paisainda em criança.

Prezados amigos,a verdade é que como ser humanos procuramos ter bens, uma casa, um carro, terumas boas férias, comprar uma roupa todos os meses, trocar de telemóvel etc,claro que para isso tudo é necessário dinheiro por parte dos pais, mas a pergunta quedeixo é, o que é preferível: abdicar de muitas dessas coisas que não nos trazemfelicidade, ou apostarmos mais na relação familiar?

Por vezestemos de fazer escolhas, ter menos por um lado, mas dar mais de nós por outro.E neste caso a família devia ser prioridade. Não são as coisas que sãoimportantes nesta terra, mas as pessoas, são elas que ainda dão sentido à vida.

Vivemos nummundo em que Deus deseja reconciliar o coração dos pais aos filhos e dos filhosaos pais, e isto só pode acontecer quando ambos os lados se relacionam. Sobretudopara os pais cristãos, se o mundo vai no sentido errado, não temos que seguir omesmo caminho. 

Por vezes perguntamos, quemundo vamos deixar para os nossos filhos, mas devíamos antes perguntar, quefilhos estamos a deixar para este mundo.
termino deixando-vos este pensamento de Paulo. Romanos 12:2
E não vos conformeis com este século, mastransformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual sejaa boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Deus te abençoe
FIM

DEIXE UM COMENTÁRIO

Sem comentários:

Enviar um comentário